Após prisão de prefeito, vice de cidade no interior do AC renuncia cargo e alega ‘motivos pessoais’

07.01.2019 15:41 Por REDAÇÃO ONLINE

Judson Costa tinha assumido a prefeitura de Senador Guiomard no lugar de André Maia, preso em operação da Polícia Federal. Presidente da Câmara assumiu cargo nesta segunda (7).


Prefeito de Senador Guiomard em exercício, Judson Costa, renunciou ao cargo  — Foto: Arquivo pessoal

Prefeito de Senador Guiomard em exercício, Judson Costa, renunciou ao cargo — Foto: Arquivo pessoal

O prefeito em exercício do município de Senador Guiomard, Judson Costa, renunciou ao cargo no sábado (5) “por motivos pessoais”. Costa havia assumido a prefeitura da cidade depois que o prefeito André Maia foi preso na Operação Sarcófago da Polícia Federal, deflagrada no dia 13 de dezembro do ano passado.

Ao G1, Costa afirmou que não tem nenhum motivo específico para ter renunciado ao cargo. Segundo ele, foi uma decisão que teve em família. O presidente da Câmara de Vereadores, Jucimar de Souza, conhecido como Gilson da Funerária, foi quem assumiu a prefeitura a partir desta segunda-feira (7). E, quem fica na presidência da Câmara é o vice.

“Foi uma decisão que tive em família, decidi abdicar da vida política mesmo. Não tem nenhum motivo específico, agora vou cuidar de outras coisas, da vida pessoal e da família”, disse Costa.

Na carta de renúncia, enviada à Câmara de Vereadores, o prefeito em exercício disse que há vários meses já vinha pensando e maturando com a família em abdicar da vida pública.

“Trata-se de uma decisão difícil, porém necessária para minha vida pessoal e familiar, haja vista a dificuldade de adaptação aos processos que regem a vida política, o que gera desgastes físicos e emocionais e não está atrelada a quaisquer fatos ou circunstâncias relacionadas a administração pública ou a pessoas”, afirmou Costa na carta.

O presidente da Câmara, agora prefeito da cidade do interior do Acre, disse que vai assumir de cabeça erguida. Gilson da Funerária foi um dos vereadores que denunciaram o prefeito André Maia, preso por desvio de verbas públicas.

Presidente da Câmara de Vereadores, Gilson da Funerária, assume prefeitura de Senador Guiomard — Foto: Arquivo pessoal

Presidente da Câmara de Vereadores, Gilson da Funerária, assume prefeitura de Senador Guiomard — Foto: Arquivo pessoal

“Fiz parte de uma ação controlada junto com a Polícia Federal, as denúncias foram feitas por vários vereadores”, disse. Sobre assumir a prefeitura, Gilson diz que “agora, é levantar a cabeça, porque a gente tem que estar sempre preparado para tudo. Se Deus quiser, vou dar conta o máximo possível”, afirmou.

A prioridade para o novo prefeito de Senador Guiomard é o combate à dengue. “De imediato vai ser feito uma limpeza geral na cidade e uma ação contra a dengue que está demais no nosso município”, concluiu.

Prefeito preso

O prefeito de Senador Guiomard, no interior do Acre, André Maia, foi preso no dia 13 de dezembro do ano passado suspeito de desviar verbas públicas. Intitulada Operação Sarcófago, a ação da Polícia Federal é um desdobramento da Operação Ícaro, que ocorreu em Capixaba em agosto de 2018.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Felix Fischer, da Coordenadoria da Quinta Turma do STJ, negou habeas corpus ao prefeito na última quinta-feira (3). Além de Maia, o secretário de Finanças Deusdete Cruz, o pregoeiro Estácio Parente dos Santos, o Controlador Geral do município Welington Marciel e o advogado Wellington Silva também foram presos.

O prefeito foi preso suspeito de desviar verbas públicas e fraudar licitações com superfaturamentos de cerca de R$ 5 milhões. Durante a operação, a Polícia Federal cumpriu 25 mandados de busca e apreensão e cinco de prisões preventivas.

Conforme a polícia, há indícios de que Maia pagava um “mensalinho” no valor de R$ 3 mil para seis vereadores da base aliada dele.

Um vídeo divulgado pela polícia, mostra o advogado Wellington Silva entregando dinheiro para o funcionário de um vereador da cidade de Senador Guiomard. De acordo com a polícia, o advogado seria o operador do “mensalinho”.

Uma ligação telefônica, gravada com autorização da Justiça, revela o prefeito de Senador Guiomard, André Maia, acertando a entrega de dinheiro a um vereador da cidade. Na conversa, o vereador reclama que o dinheiro não foi pago completamente, já que o acertado era R$ 5 mil e recebeu R$ 4,7 mil.

Fonte: G1

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.