Com 17 mortes por gripe, Acre tem a pior cobertura vacinal do país

29.05.2019 11:35 Por videos

Mais de 78,4 mil pessoas ainda não se vacinaram, segundo a Saúde. Meta é vacinar 90% até a sexta-feira (31).

Foto:Reprodução

Mais de 93,2 mil pessoas ainda não se vacinaram contra o vírus da gripe no Acre, segundo balanço divulgado, nesta terça-feira (28), pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O estado, que vacinou apenas 65,64% do público-alvo, tem a pior cobertura do país.

Conforme os dados da gerência de Imunização do Estado, desde janeiro deste ano, 17 pessoas morreram por complicações da gripe. Foram confirmados 36 casos de H1N1 e três mortes. Além disso, 23 casos de H3N2, com uma morte.

Outros 123 casos confirmados no Acre foram de Vírus Sincicial Respiratório (VSR), que é o principal vírus causador de bronquiolite em bebês. De acordo com a gerência de Imunização, o vírus matou 12 pessoas desde janeiro deste ano. Outro óbito foi de uma pessoa que teve VSR e H3N2.

A meta é vacinar 90% do público, ou seja, pouco mais de 242 mil de pessoas. Conforme o Ministério da Saúde, mais de 149 mil pessoas procuraram uma unidade de saúde do estado acreano para se vacinar. A vacina da gripe, este ano, protege contra três subtipos graves da influenza: a H1N1, a H3N2 e influenza B.

Somente quatro municípios acreanos atingiram a meta da campanha. Entre eles, Assis Brasil, que teve mais de 100% de cobertura, Cruzeiro do Sul, com 99,33%, Santa Rosa do Purus, 95,96% e Porto Walter com 93,80%. Já a cidade com pior cobertura é Epitaciolândia, com 38,95% pessoas imunizadas.

Quem deve tomar a vacina?

Conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), as vacinas oferecidas gratuitamente pelo governo são destinadas a:

  • Crianças de 6 meses a 5 anos de idade;
  • Gestantes;
  • Puérperas, isto é, mães que deram à luz há menos de 45 dias;
  • Idosos;
  • Profissionais de saúde, professores da rede pública ou privada, portadores de doenças crônicas, povos indígenas e pessoas privadas de liberdade;
  • Portadores de doenças crônicas (HIV, por exemplo) que fazem acompanhamento pelo SUS.

Quem não faz parte dessas categorias pode adquirir a vacina contra a gripe na rede privada por cerca de R$ 100 a 150.

A vacina não é capaz de causar a gripe em quem recebe. Ela permite que o paciente fique imune aos tipos de vírus mais comuns em circulação sem ficar doente.

Estados com maior cobertura

  • Amazonas – 96,12%
  • Amapá – 92,93%
  • Pernambuco – 86,38%
  • Espírito Santo – 83,12%
  • Alagoas – 81,41%

Estados com menor cobertura

  • Acre – 61,50%
  • Santa Catarina – 70,41%
  • Distrito Federal – 70,82%
  • Mato Grosso do Sul – 71,91%
  • Rio Grande do Sul – 72,60%

Por G1 Acre

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.