Com 600 notificações de dengue, Sena Madureira, no AC, reforça ações de combate ao mosquito

27.11.2018 15:31 Por REDAÇÃO ONLINE

Com 600 notificações de dengue, Sena Madureira, no AC, reforça ações de combate ao mosquito — Foto: Aline Nascimento/G1

Com 600 notificações de dengue, Sena Madureira, no AC, reforça ações de combate ao mosquito — Foto: Aline Nascimento/G1

A cidade de Sena Madureira, no interior do Acre, registrou 600 notificações de casos suspeitos de dengue nos últimos meses. A informação foi confirmada, neste domingo (25), pelo secretário municipal de Saúde, Daniel Herculano.

Herculano afirmou que devido ao grande número de casos, estão sendo reforçadas as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. Estão sendo feitos mutirões, borrifação e ações de conscientização.

“A conscientização já é feita o ano todo. Mas, este ano, foi um pouco diferente dos demais, porque teve muita chuva no período do verão e agora as chuvas intensificaram, no inverno. Isso ajudou a proliferar o mosquito da dengue, por conta de que a população relaxou também. Estamos fazendo mutirão nos bairros com maiores índices, palestras e na mídia com ações de conscientização e também borrifação”, disse o secretário.

Os bairros com maiores registros de notificações são o Vila Militar e Ana Vieira, de acordo com o secretário.

Falta de reagente

Uma das preocupações, segundo Herculano, é que não está sendo possível fazer exames para confirmar os casos de dengue na cidade. De acordo com o secretário, no hospital da cidade está faltando o reagente que é usado no exame e, com isso, as pessoas estão sendo apenas orientadas a fazer o tratamento.

“O governo do estado não está mandando os reagentes para fazer os exames. Já solicitamos, e disseram que estão comprando. Então, apenas estamos registrando as notificações e orientando que descansem e tomem a dipirona. Mas, não temos como confirmar a doença”, afirmou o secretário.

Ao G1, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) confirmou a falta de reagentes, mas informou que o material é enviado pelo Ministério da Saúde. A Sesacre acrescentou ainda que o recebimento dos reagentes é de responsabilidade do Ministério e que a Secretaria está aguardando o envio do material.

Ainda de acordo com a Sesacre, o Ministério não deu previsão para que o material seja enviado, pois está sendo feito um processo licitatório para a aquisição dos componentes.

O Ministério da Saúde informou ao G1, por meio de nota, que todos os estados do país estão devidamente abastecidos com kits diagnósticos (teste rápido) para detecção e triagem da dengue.

O Ministério esclareceu ainda que em 2018 foram enviados 600 kits (12 mil testes) de testes rápidos ao Acre, de um total de mais de 3 milhões de testes enviados a todo o país, quantidade suficiente para suprir a demanda.

“A pasta oferta diversos tipos de testes para diagnóstico da dengue, sendo IgM e NS1 do tipo ELISA; IgM e IgG do tipo testes rápidos; além de Biologia Molecular. Em relação ao reagente utilizado no teste de ELISA, devido ao processo de licitação, houve atraso na aquisição e entrega. Contudo, cabe ressaltar que os estados estão abastecidos com outros testes, que também são utilizados para o diagnóstico da doença”, esclareceu.

O órgão falou ainda que em situações de surto, os casos podem ser confirmados por vínculo epidemiológico, e não necessariamente por exames laboratoriais. A confirmação do diagnóstico por laboratório também não interfere no tratamento, que é sintomático.

Fonte: G1

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.