Com mais um ponto facultativo, órgãos públicos só voltam a funcionar na quarta (7) no AC

04.08.2019 16:45 Por REDAÇÃO ONLINE

Serviços voltam ao normal somente na quarta-feira (7). Decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), desta sexta-feira (2).

Por G1


Decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), desta sexta-feira (2) — Foto: Palácio Rio Branco, Acre

Decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), desta sexta-feira (2) — Foto: Palácio Rio Branco, Acre

O governo do Acre informou que o expediente nos órgãos públicos do estado só devem voltar a funcionar normalmente na quarta-feira (7). O governador Gladson Cameli decretou ponto facultativo na segunda-feira (5), segundo ele, devido à data que marca o início da Revolução Acreana.

Porém, vale destacar que, mesmo com o decreto 28, publicado no Diário Oficial no dia 8 de janeiro deste ano, o governo trata o dia 6 de agosto como feriado estadual e não como ponto facultativo, como consta no decreto disponível no Diário Oficial.

Questionado sobre a data ser considerada ponto facultativo e não feriado, o governo respondeu em nota que:

“O decreto de 8 de janeiro traz um calendário anual. Nada obsta que o governador adote outros pontos facultativos no decorrer do ano. Dia 06 de agosto é feriado estadual. Inclusive, não pode ser adiado nem adiantado conforme a lei 2.126/2009, assim foi decretado ‘ponto facultativo’ na próxima segunda-feira. O decreto de janeiro traz o de 06 de agosto como sendo ponto facultativo, e deve ser interpretado como sendo dada faculdade a quem quer trabalhar”, diz.

Com isso, os serviços considerados essenciais de urgência e emergência, como saúde e segurança, no entanto, vão ser prestados normalmente. Já as secretarias, autarquias e fundações estaduais vão estar com o expediente suspenso ao público durante os dois dias.

Mesmo que 6 de agosto seja considerado ponto facultativo no calendário oficial do governo, publicado em janeiro deste ano no Diário Oficial, o governo agora trata a data como feriado estadual — Foto: Reprodução/DO-AC

Mesmo que 6 de agosto seja considerado ponto facultativo no calendário oficial do governo, publicado em janeiro deste ano no Diário Oficial, o governo agora trata a data como feriado estadual — Foto: Reprodução/DO-AC

Revolução Acreana

A data marca os 117 anos do início da luta que resultou na incorporação do território acreano ao Brasil. A história, contada em trechos no hino do estado, é formada por imigrantes nordestinos e heróis como Plácido de Castro, que liderou o movimento, e o Barão do Rio Branco, que negociou a anexação acreana junto ao governo boliviano.

Até o final do século XIX e início do século XX, a região do Acre pertencia a Bolívia. A chegada dos primeiros nordestinos, por volta de 1880, porém, logo mudou o cenário.

Os imigrantes fugiam da seca que assolava o Nordeste e viram na região, então pouco explorada, uma oportunidade de melhorar de vida.

O que os atraía era o chamado “ouro branco”, ou simplesmente látex, que após extraído de seringueiras e submetido a um processo de vulcanização era utilizado pela, então recente, indústria automobilística para fabricação de pneus, entre outras utilidades.

Foram necessários dois anos e a chegada do gaúcho Plácido de Castro até o Acre para que a revolução propriamente dita começasse.

No dia 6 de agosto de 1902, os revolucionários, liderados por Castro, aproveitaram as comemorações da Independência boliviana para atacar. Segundo relatos históricos, foi na madrugada deste dia que o exército acreano bateu a porta da Intendência Boliviana na cidade de Xapuri para anunciar o início do confronto armado.

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.