Diagnosticado com morte cerebral, jovem reage e tem alta médica

09.01.2017 14:57 Por Redação Juruá Online

O jovem Manoel Albano de Souza, de 25 anos, que sofreu um acidente de trânsito, na Rodovia AC-405, no dia 16 de outubro de 2016, enquanto buscava o corpo de um amigo no Aeroporto de Cruzeiro do Sul, vítima de acidente de trânsito, se mostrou como um verdadeiro milagre para medicina. O jovem que já havia sido diagnosticado com morte encefálica conseguiu reagir e já teve alta do Hospital de Rio Branco (AC).

De forma surpreendente, o jovem de 25 anos já está em casa, em Cruzeiro do Sul, aos cuidados família. O cunhado e o pai do jovem receberam a nossa equipe de reportagem, onde anunciaram a recuperação do rapaz. Júnior tinha sido diagnosticado com morte cerebral em um hospital da capital, mas de forma surpreendente, reagiu aos estímulos médicos. O pai, Manoel Albano, fala em milagre.

“Uma das médicas disse que o estado do meu filho já era estável, e nós íamos trazer ele para casa em estado vegetativo, e nós íamos cuidar dele para o resto da vida. Eu agradeci ela pelos cuidados, mas falei que onde termina a medicina começa a minha fé”, falou o pai.

Foi Rodrigo Souza, cunhado da vítima, que acompanhou toda fase tratamento do jovem em Rio Branco, e havia recebido a noticia de morte encefálica.

“Teve a morte cerebral confirmada, tem as tomografias, eu recebi a notícia de dois médicos e tinha as enfermeiras que estavam lá passando, e ainda perguntaram se ele era doador de órgão, e no outro dia teve esse milagre, que Deus deu a vida dele de novo”, contou o cunhado.

Segundo ele, recebeu da equipe médica a tarefa de informar a família, da morte cerebral do cunhado.

“A doutora chamou, e disse que naquele momento ele estava com morte encefálica, e alí foi difícil. Eu passei uma meia hora para poder passar a noticia para família. No outro dia outra médica fez outra tomografia e falou que não conseguia explicar o que tinha acontecido com base na medicina”, relatou o cunhado.

O pai, bastante religioso, sempre se manteve esperançoso da recuperação do filho.

“A doutora já encaminhou ele para São Paulo em fevereiro, e ela explicou que pacientes piores que ele se recuperaram, e quando ele voltar vamos novamente dar entrevista e andar com ele em todas as igrejas para dar testemunho”, falou o pai.

Com informações de Erisney Mesquita

Recomendado

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.