Filho que matou pai com tiro acidental de espingarda se apresenta na delegacia no AC

10.07.2019 14:25 Por REDAÇÃO ONLINE

Delegado diz que rapaz confessou e confirmou que confundiu pai com homem que o ameaçou. Ele foi liberado após oitiva. Crime ocorreu no sábado (6), na zona rural de Rio Branco.

Por G1


Filho que matou pai com tiro acidental de espingarda se apresenta em delegacia do AC — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Filho que matou pai com tiro acidental de espingarda se apresenta em delegacia do AC — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

O filho que matou o próprio pai, de 54 anos, com um tiro de espingarda disparado de forma acidental, se apresentou na Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). Segundo o delegado responsável pelo caso, Martin Hessel, o rapaz confessou o crime e, após prestar depoimento, foi liberado.

O homicídio ocorreu na noite deste sábado (6), no quilômetro 6 da Estrada de Porto Acre, zona rural de Rio Branco. Familiares da vítima estiveram no Instituto Médico Legal (IML), no domingo (7), para aguardar a liberação do corpo, mas preferiram não comentar sobre o caso.

O delegado disse que o rapaz confirmou que confundiu o pai com um homem que o teria ameaçado horas antes em uma vaquejada.

“Ele veio até a delegacia, confessou e apresentou a arma utilizada também. Já encaminhamos a arma para a perícia e agora é finalizar ouvindo as outras testemunhas que estavam no local. Até esta quarta-feira [10], ouvimos apenas o autor do disparo, mas vamos fazer oitiva de mais cinco pessoas até o final desta semana”, disse o delegado.

Hessel afirmou que não pediu a prisão do rapaz, porque precisa concluir o inquérito. “No momento não vou pedir, vamos verificar se há necessidade desse pedido de prisão. Pelo crime, ele vai responder normalmente, pelo homicídio. O processo também vai tramitar normalmente”.

Morte acidental

O comandante da patrulha do 5º Batalhão da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, tenente Moisés Nascimento, contou que o filho da vítima teria atirado acidentalmente após confundir o pai com um homem que o teria ameaçado momentos antes em um evento.

“A informação preliminar é de que trata-se de um homicídio, em que o autor teria participado antes de uma vaquejada e aí foi ameaçado por um terceiro e foi para casa. Chegando em casa, um tempo depois disso, o pai dele foi até o local e ele, temendo essa ameaça, confundiu o pai com um dos autores da ameaça, e, infelizmente, efetuou o disparo e a vítima veio a falecer”, contou Nascimento.

Quando a polícia chegou no local, o filho que disparou contra o pai não foi localizado e nem a arma usada no crime.

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.