Governo cancela contrato de aluguel da casa de Chico Mendes de R$ 20 mil mensais

06.11.2018 17:06 Por REDAÇÃO ONLINE

Governo do AC cancela contrato de aluguel da Casa de Chico Mendes — Foto: Caio Fulgêncio/G1

Governo do AC cancela contrato de aluguel da Casa de Chico Mendes — Foto: Caio Fulgêncio/G1

Para evitar acúmulo de dívidas, o Governo do Acre decidiu cancelar o contrato de aluguel da casa do líder seringueiro Chico Mendes, no município de Xapuri, no interior do Acre. O contrato prevê o pagamento de R$ 5 mil mensais para cada herdeiro do seringueiro, totalizando R$ 20 mil mensais. Além disso, o estado é responsável pela manutenção do local.

Ao G1, nesta terça-feira (6), a presidente da Fundação Elias Mansour (FEM), Karla Martins, explicou que o contrato já encerrava em dezembro, porém, foi decidido desfazer o contrato para evitar acúmulo de despesas para o próximo governo.

“Decidimos desfazer o contrato para que não fiquem despesas com questão de aluguel. Todos os nossos aluguéis já foram encerrados, esse era o único que tínhamos mantido. Todos os contratos foram publicados no Diário Oficial do Estado”, afirma.

Karla explica que essa foi a única forma que o governo encontrou de manter a casa aberta para visitações. Segundo ela, a família não queria manter o espaço se não tivesse algum tipo de pagamento e esse foi o valor ao qual chegaram após um acordo.

“Eles [familiares] não queriam manter a casa, nem ceder o imóvel. Lá tem manutenção e vigilância, tudo que nós cuidamos. Para manter essa estrutura, eu precisava de algum amparo e eles só liberariam o espaço a partir do aluguel. Com é um espaço que sempre tem visitação, foi feito esse acordo”, explica.

Casa de Chico Mendes foi tomada pelas águas em fevereiro de 2015 — Foto: Luiza Melo/Arquivo Pessoal

Casa de Chico Mendes foi tomada pelas águas em fevereiro de 2015 — Foto: Luiza Melo/Arquivo Pessoal

Casa reabriu após dois anos em reforma

A Casa Chico Mendes foi tomada pelas águas durante uma cheia história do Rio Acre no dia 24 de fevereiro de 2015. O nível do manancial na cidade de Xapuri chegou a 16,50 metros. A casa foi reaberta somente em 27 de junho de 2017, quase dois anos após a cheia histórica.

Durante a obra, foi feita a ancoragem de todos os pilares de sustentação da casa e canalização das águas pluviais para escoamento em caso de uma nova cheia.

Todas as paredes foram substituídas ou restauradas com exceção da parede que fica junto da porta da cozinha onde há as marcas de sangue do seringueiro morto em 22 de dezembro de 1988. A cerca ao redor da casa também foi pintada.

A presidente da FEM diz que espera que a casa fique aberta ao menos até dezembro deste ano. Porém, fala que ainda devem conversar com a família para avaliar a possibilidade de manter as visitações.

Além do contrato de aluguel da Casa de Chico Mendes, Karla explica que todos os outros contratos de outros espaços culturais também foram finalizados. Por isso, alguns desses locais podem até permanecer abertos, mas em horários reduzidos.

“Vamos pedir que eles avaliem, mas ainda vamos tentar um formato para manter isso. Não dá para deixar uma coisa mais ou menos e não sabemos qual vai ser a decisão do próximo governo em relação a esses imóveis, as questões de terceirizações e tudo isso. Em relação à casa de Chico Mendes, a Casa Civil orientou o distrato. Se houver algum interesse da família aí é outra conversa”, destaca.

Fonte: G1

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.