Homem mata irmão com tiro no rosto e é preso dentro de táxi ao tentar fugir em Sena Madureira

02.05.2019 15:28 Por REDAÇÃO ONLINE

Família alega que suspeito tem transtornos mentais. Crime ocorreu na terça-feira (30).

Por G1


Alexandre da Silva Reis, de 23 anos, foi preso na quarta (1) já chegando em Sena Madureira, no interior do AC — Foto: Divulgação/PM-AC

Alexandre da Silva Reis, de 23 anos, foi preso na quarta (1) já chegando em Sena Madureira, no interior do AC — Foto: Divulgação/PM-AC

Alexandre da Silva Reis, de 23 anos, foi preso em flagrante em um táxi ao chegar na cidade de Sena Madureira, no interior do Acre, nesta quarta-feira (1).

O 8º Batalhão da Polícia Militar do Acre (PM-AC) informou que Reis fugia após matar o irmão Francisco de Assis, de 30 anos, na terça (30), na zona rural de Sena Madureira, com um tiro de espingarda no rosto.

Suspeito já tinha dado machadada no pai

Conforme a polícia, a mãe dos dois informou que o autor tem problemas mentais e que costuma ficar violento quando está em surto. Reis já teria, inclusive, dado uma machadada no pai e ameaçado várias vezes a família.

A esposa da vítima, Edilene Pinto, também confirmou que o suspeito tem problemas mentais e não soube informar se os dois tiveram algum tipo de discussão que motivasse o crime.

Edilene contou ainda que percebeu que o marido tinha levantado da cama e pouco tempo depois já ouviu os disparos e viu o marido morto.

Ainda segundo informações da esposa, o casal mora em Rio Branco e estava na cidade há alguns dias para visitar os pais de Reis e ele teria conseguido um trabalho provisório. Por isso, ficaram um tempo a mais.

Noite do crime

Na noite anterior ao crime, a vítima disse ao irmão que os dois trabalhariam no dia seguinte e o autor não gostou. Assim que amanheceu, a vítima foi até o quarto onde o irmão dormia e atirou contra ele.

A vítima morreu no local e a polícia foi informada horas depois, já que se trata de uma área de difícil acesso. O corpo foi levado para a cidade por familiares e o autor fugiu do local, mas, foi pego um dia depois. Ao G1, o delegado da cidade, Rodrigo Noll disse que ainda não pode falar sobre o caso.

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.