Justiça autoriza reeducando a cursar ensino médio e participar de cultos religiosos

24.10.2018 15:54 Por REDAÇÃO ONLINE

Decisão considerou o comportamento do reeducando e a necessidade de ressocialização; porém ele deve se recolher normalmente após as atividades.

O Juízo da Vara Única da Comarca de Tarauacá autorizou um reeducando, que cumpre regime de pena semiaberto, com monitoramento eletrônico, a frequentar cultos religiosos e estudar no período noturno.

Conforme os autos, o reeducando entrou com pedido de autorização para poder participar de formação no Ensino Médio, na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA), assim como frequentar cultos de designação religiosa.

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) manifestou-se favorável ao pedido, desde que seja mensalmente apresentada a frequência escolar e a declaração do responsável pela igreja, comprovando a participação do reeducando nas atividades.

Decisão

Na decisão, publicada na edição n°6.219 do Diário da Justiça Eletrônico, da quinta-feira, 18, a juíza de Direito substituta Ana Paula Saboya destacou que o reeducando apresenta bom comportamento e refletiu que a intenção de estudar “compreende o objetivo de reajustar a personalidade do sentenciado aos padrões adotados pela boa convivência com a sociedade”.

A magistrada verificou ser “compatível a possibilidade de autorização de estudo e participação de atividades religiosas, com o recolhimento noturno em seu domicílio, somente após as aulas e cultos, embora a lei não seja clara neste sentido, mas levando-se em mente os fins da ressocialização”.

Contudo, mesmo autorizando o reeducando a participar das atividades de ressocialização, a juíza de Direito alertou: “não se está aqui concedendo ao apenado um salvo-conduto para que fique livremente no período noturno e finais de semana, porém, dando-lhe o direito de exercer estudar e exercer atividade religiosa, se recolhendo normalmente após ditas atividades”.

Fonte: TJ-AC.

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.