Mais de mil onças podem ter sido mortas por grupo de caçadores

05.08.2019 9:30 Por videos

Após investigação da polícia federal que denunciou o funcionamento de uma rede de caçadores de onça-pintada no Acre, um programa de rede nacional exibiu nesse domingo, 4, uma reportagem com detalhes sobre o caso. Sete pessoas se tornaram réus após investigação, entre eles Temístocles Barbosa Freire, dentista e caçador, apontado como líder do grupo. Ele já atendeu uma onça em cativeiro no Parque Ambiental Chico Mendes, em Rio Branco, que precisou de tratamento dentário.

O procurador da República Joel Bogo afirma que este pode se configurar um dos maiores casos de matança de onça já registrados no país. Há registros, conforme registros resgatados pela polícia na casa do líder do grupo, de atuação desde 1997. Ultimamente, os caçadores realizavam caça semanalmente, o que pode chegar a mais de mil onças mortas num período de 30 anos.

Além das onças, eles também caçavam outros animais silvestres, segundo a polícia federal, em um mês eles mataram 31 animais, destes, seis onças. O médico Gilson Dória de Lucena Júnior, o agricultor Gilvan Souza Nunes, o ex-servidor público do Poder Judiciário do Acre, Sinézio Adriano de Oliveira Júnior, o agente penitenciário Gisleno José Oliveira de Araújo Sá, o eletricista Manoel Alves de Oliveira e Sebastião Júnior de Oliveira Costa são os acusados. Todos estão soltos.

Segundo a polícia, pessoas do meio urbano que iam para a zona rural de Rio Branco apenas para caçar por diversão, em áreas de reservas legais de fazendas. Eles agiam com permissão dos proprietários das fazendas.

Em julho, a justiça federal aceitou a denúncia do ministério público federal e os sete foram indiciados por caça de animal silvestre, com pena aumentada por envolver animal ameaçado de extinção e associação criminosa armada com porte ilegal de arma de fogo.

Nenhum dos acusados quis se pronunciar sobre o caso.

Com informações do AC 24 Horas

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.