Secretário de Polícia Civil do Acre é afastado e governo diz que ele é investigado por ligação com facção; MP nega

30.01.2019 13:23 Por REDAÇÃO ONLINE

Governo diz que processo envolvendo Rêmulo Diniz está em segredo de justiça e que, portanto, não tem mais detalhes sobre denúncias. MP negou que secretário seja alvo.

Por G1


Secretário de Polícia Civil do Acre é afastado e governo confirma que ele é investigado por ligação com facção — Foto: Assessoria

Secretário de Polícia Civil do Acre é afastado e governo confirma que ele é investigado por ligação com facção — Foto: Assessoria

O Secretário de Polícia Civil do Acre, Rêmulo Diniz, foi afastado do cargo nesta quarta-feira (30) e o governo confirmou que ele é alvo de investigação por ligação com uma facção criminosa. De acordo com o governo, quem assume a pasta é o delegado Getúlio Teixeira.

Ao G1, o porta-voz do governo do estado, Rogério Wenceslau, afirmou que o delegado foi afastado até que as investigações sejam esclarecidas. Diniz foi responsável pela Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHHP) até o final de 2018.

“Sim, tem um processo que corre em segredo de justiça. Conforme já foi dado pela mídia, de fato, a informação é de que ele está sendo investigado. Não temos detalhes porque está sem segredo de justiça. Aí, o governo decidiu afastá-lo para poder deixar a coisa mais transparente e até favorecer com que ele se defenda de forma tranquila”, afirmou Wenceslau.

O afastamento do secretário foi anunciado por meio de nota. A reportagem entrou em contato com o delegado Rêmulo Diniz, mas ele afirmou que estava em uma reunião e não poderia falar.

Confira a nota do governo na íntegra:

O Governo do Estado do Acre comunica o afastamento do cargo de secretário do estado de Polícia Civil, do delegado Rêmulo Diniz, até que as investigações que transcorrem no âmbito da Justiça estadual sejam devidamente esclarecidas. Consciente do dever de cumprir as leis e a ordem, o Governo do Estado do Acre reafirma seu compromisso com a transparência, a Justiça e o respeito à sociedade acreana”.

MP-AC nega que delegado seja alvo de investigação

Em nota, o Ministério Público do Acre negou que o delegado Rêmulo Diniz foi objeto de investigação em processo criminal que apura ligação com facção criminosa. Além disso, o órgão afirma que o delegado responsável pela investigação não indiciou Diniz em qualquer crime.

“O delegado de Polícia Civil Rêmulo Diniz não foi objeto de investigação no processo criminal em questão. Até o momento de conclusão do inquérito policial, não se vislumbrou qualquer ligação da autoridade policial citada com qualquer facção criminosa, valendo salientar que o delegado que presidiu a investigação sequer promoveu o indiciamento do Delegado de Polícia Civil Rêmulo Diniz em qualquer crime”, afirma o órgão.

O MP-AC confirma que existem informações no inquérito que possam caracterizar desvios de conduta ou atos ilícitos por parte do delegado Diniz. Segundo o órgão, essas informações foram encaminhadas à Corregedoria de Polícia Civil e à Promotoria Especializada no Controle Externo da Atividade Policial.

“Informações existentes no inquérito que eventualmente possam caracterizar desvios de conduta ou atos ilícitos envolvendo a autoridade policial em questão foram encaminhadas pelos membros do Ministério Público que autuaram na investigação, no momento de oferecimento da denúncia à Corregedoria de Policia Civil e à Promotoria Especializada no Controle Externo da Atividade Policial para fins de apuração”, diz a nota.

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.