Imagem mostra gerente rendida por vigilante em roubo de R$ 700 mil em banco no Rio

10.05.2018 14:31 Por REDAÇÃO ONLINE

Banco já tinha fechado e a funcionária foi rendida para abrir cofre. Refém disse que foram levados R$ 700 mil, três armas e celular.

Uma imagem do circuito interno de segurança mostra o momento em que o segurança Leonardo Matheus de Sousa Monteiro mantinha a gerente refém durante o assalto a uma agência bancária. O episódio aconteceu na noite de quarta-feira (10), quando o funcionário roubou cerca de R$ 700 mil do banco em que trabalhava.

Durante a ação, o criminoso não chamou a atenção dos moradores da Tijuca, na Zona Norte do Rio. Nenhum caixa eletrônico ou cofre foi explodido e também não teve troca de tiros. O banco já tinha fechado e a funcionária foi rendida para abrir o cofre.

Em depoimento na 19ª DP (Tijuca), a funcionária do Banco Santander que foi rendida disse que o suspeito se chama Leonardo Matheus de Sousa Monteiro, e que foi feita refém quando abria o cofre da agência.

Além do dinheiro, a mulher contou foram levadas três armas e o celular dela. Testemunhas afirmaram que um carro de cor escura auxiliou na fuga do suspeito. O caso foi registrado na delegacia e policiais da unidade deram início a diligências para tentar capturar o vigilante.

Vigilante faz gerente refém durante assalto a banco na TIjuca, Zona Norte do Rio (Foto: Reprodução)

Vigilante faz gerente refém durante assalto a banco na TIjuca, Zona Norte do Rio (Foto: Reprodução)

‘Distúrbio psicológico’, diz empresa

O segurança trabalhava para a empresa Sunset Vigilância, que informou, em nota, que “está dando toda assistência para a família do funcionário suspeito de participar do roubo”.

A empresa “assegurou” que o cliente (Banco Santander) não sofrerá nenhum prejuízo. “A Sunset possui seguro contra roubos e ressarcirá o banco de eventual perda patrimonial”, diz o texto.

A Sunset acrescenta que “o vigilante em questão serviu ao Exército Brasileiro durante cinco anos e estava há seis meses na Sunset, sem nunca ter apresentado qualquer tipo de comportamento inadequado aos padrões da empresa”.

O texto informa que “uma das linhas de investigação da Polícia Civil é que ele tenha sido coagido por bandidos a cometer o delito ou esteja passando por um distúrbio psicológico. O vigilante em questão é morador do bairro de São Cristóvão e seu paradeiro até o momento é desconhecido”.

Fonte: G1

Recomendado

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.