Operação Constrição desarticula grupo criminoso que fraudava o INSS no Norte de Minas

12.06.2017 9:06 Por Redação Juruá Online

Polícia Federal cumpre mandados na sede do INSS em Montes Claros (Foto: Natália Jael/ Inter TV)

Polícia Federal cumpre mandados na sede do INSS em Montes Claros (Foto: Natália Jael/ Inter TV)

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta segunda-feira (12), dois mandados de prisão preventiva, um de temporária e 12 mandados de busca e apreensão na Operação Constrição, que investiga organização criminosa que fraudava a previdência social no Norte de Minas. Um dos mandados de prisão preventiva é contra uma servidora do INSS. A ação da PF, realizada em Montes Claros, é em parceria com a Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda.

Sete pessoas também devem ser conduzidas coercitivamente pela Polícia Federal. De acordo com as investigações, a organização atuava na cooptação e concessão de benefícios previdenciários fraudulentos com a participação de servidores do INSS, em troca de vantagem indevida.

“Vantagem esta consubstanciada em pagamento de determinado valor, que era fruto de empréstimos consignados, contratados em nome dos beneficiários das fraudes”, diz a PF.

Segundo a PF, o valor do prejuízo é de R$ 486 mil referentes à concessão dos benefícios fraudados e R$ 416 mil de empréstimos consignados que recaíram sobre os benefícios previdenciários.

Os investigados estão sendo indiciados por estelionato, falsidade ideológica, organização criminosa e inserção de dados falsos em sistemas de informações.

Recomendado

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.