Quinto suspeito da morte dos jovens que sumiram após sair da Expoacre é preso no Acre

13.03.2019 13:44 Por REDAÇÃO ONLINE

Rafael Messias, de 18 anos, foi preso suspeito de roubo e incêndio de carro. Na delegacia, polícia confirmou que ele também era investigado pelo triplo homicídio dos adolescentes.

Por G1


Rafael Sidarta Messias, de 18 anos, foi preso na segunda-feira (11) no Bujari, interior do Acre — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Rafael Sidarta Messias, de 18 anos, foi preso na segunda-feira (11) no Bujari, interior do Acre — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Mais um suspeito de participação na morte de três jovens em agosto do ano passado em Rio Branco foi preso na segunda-feira (11). Rafael Sidarta Messias, de 18 anos, é o quinto suspeito do triplo homicídio.

Os jovens Vitor Vieira de Lima, de 18 anos, Isabele Silva Lima, 13, e Amanda Gomes de Souza, de 14, desapareceram após saírem da Expoacre no dia 5 de agosto do ano passado. Dias depois, os corpos dos estudantes foram encontrados.

Rafael Sidarta Messias foi preso suspeito de roubo com emprego de armas e de incendiar o carro da vítima, na cidade do Bujari, no interior do Acre. Além dele, Antônio Gabriel Dourado também foi preso. Na delegacia, a polícia confirmou que Messias também era investigado pela morte dos jovens no ano passado.

“Um deles [Messias] estava envolvido naquele homicídio trágico dos adolescentes lá na Expoacre e, com certeza, a DHPP já deve estar com a investigação em andamento. Mas, temos a informação que, de fato, ele participou desse crime”, disse o delegado responsável pela prisão, Karlesso Nespoli.

Dupla foi presa suspeita de roubo e incêndio de carro no Bujari — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Dupla foi presa suspeita de roubo e incêndio de carro no Bujari — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Roubo e incêndio de carro

O delegado informou que Messias e Dourado eram investigados por um roubo que ocorreu no último dia 21 de janeiro, na zona rural do Bujari. A informação foi divulgada pela Polícia Civil nesta terça-feira (12).

“Os policiais do Bujari fizeram a investigação e nós enviamos o pessoal aqui do Núcleo de Capturas para dar um apoio a eles e também tivemos ajuda da Polícia Militar para fazer o cerco e efetuar a prisão”, disse Nespoli.

A dupla deve responder pelo crime de roubo e emprego de arma. “São pessoas perigosas que cometeram esse crime grave, queimaram o veículo da vítima e agora vão responder por isso”, afirmou o delegado.

Francimar Conceição da Silva, de 27 anos, Clenilton Araújo de Souza, de 26 foram presos e Luiz Gonzaga está foragido — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Francimar Conceição da Silva, de 27 anos, Clenilton Araújo de Souza, de 26 foram presos e Luiz Gonzaga está foragido — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Três viraram réus

A 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco aceitou a denúncia do Ministério Público do estado (MP-AC) e três suspeitos viraram réus pela morte dos três adolescentes em janeiro deste ano.

Clenilton Araújo de Souza, de 26 anos, Francimar Conceição da Silva, de 27 anos e Luiz Gonzaga, que está foragido com mandado de prisão em aberto, viraram réus no caso. O trio é acusado de homicídio triplamente qualificado.

Souza e Silva foram presos em outubro de 2018 e estão no presídio Francisco D’Oliveira Conde, em Rio Branco.

Amauri Sandro foi preso, no dia 31 de outubro de 2018, suspeito de envolvimento nos crimes, mas não chegou a virar réu no processo. De acordo com a Polícia Civil, Sandro passou a coordenar crimes no bairro Taquari após a prisão dos outros dois acusados.

A advogada de Souza, Aliany de Paula, informou que já foram apresentadas as defesas iniciais dos três réus e que o processo aguarda manifestação do Ministério Público do Acre (MP-AC). O G1 não conseguiu contato com a defesa dos outros réus.

“Ainda não foi marcada a audiência de pronúncia, porque estamos aguardando a manifestação do MP. Somente nessa audiência é que saberemos se o caso vai a júri popular ou não”, afirmou Aliany.

Amanda Gomes, Isabele Lima e Vitor de Lima sumiram no 5 de agosto do ano passado quando saíram para a Expoacre — Foto: Arquivo da família

Amanda Gomes, Isabele Lima e Vitor de Lima sumiram no 5 de agosto do ano passado quando saíram para a Expoacre — Foto: Arquivo da família

Desaparecimento e mortes

Vitor Vieira de Lima, de 18 anos, e Isabele Silva Lima, de 13, desapareceram no dia 5 de agosto deste ano. Lima foi achado dias após o sumiço. De acordo com o delegado, ele foi esfaqueado e atirado dentro de um poço ainda vivo e morreu afogado. Já Isabele foi achada morta em uma área de mata.

No dia 23 de agosto do ano passado, os ossos de Amanda foram encontrados pela polícia. A ossada estava em formato de triângulo. Outra particularidade é que faltavam quatro dentes da parte da frente no crânio e havia sinais de que o corpo da vítima tinha sido queimado.

O ciúme teria sido a motivação para a morte dos adolescentes, de acordo com o delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que investigou o caso, Rêmulo Diniz.

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.