Segurança Pública pede reforço do Exército e Marinha para o carnaval em Rio Branco

09.02.2018 12:29 Por Redação Juruá Online

Reforço foi acionado pelo governo do estado para garantir a segurança durante as festas de Carnaval. Novidade foi anunciada durante coletiva nesta sexta (9).

O Exército e Marinha foram solicitados para reforçar a segurança durante os dias de carnaval em Rio Branco.  (Foto: Aline Nascimento/G1)
Foto: G1

O Exército e Marinha foram solicitados para reforçar a segurança durante os dias de carnaval em Rio Branco. A informação foi repassada na manhã desta sexta-feira (9) pelo secretário de Segurança Pública, Emylson Farias. Cerca de três equipes do Exército vão ajudar na segurança nos dias de festas. O carnaval em Rio Branco terá blocos de rua e folia em 14 bairros.

“Temos uma relação muito boa com o Exército. Estamos fazendo inúmeras operações com a ajuda da Polícias Civil e Militar, que vão estar se deslocando em todo terreno da cidade e estado. Temos sete operações em andamento”, afirmou Farias.

O secretário disse ainda que as equipes vão estar instaladas em pontos na entrada da cidade e em rodovias. “Vamos estar em pontos específicos da BR para que a gente possa fortalecer a entrada da cidade. São locais de fiscalização estratégicos. Vamos estar revezando para que tenhamos sempre a polícia por perto”, acrescentou o secretário.

O tenente-coronel Atahualpa Ribera disse que a proposta é que os homens do Exército atuem na rodovia BR-364, na região do Belo Jardim, na BR-317, próximo de Capixaba, e na Transacreana. Já a Marinha vai monitorar a região da Gameleira.

“Temos por dia junto com o ordinário cerca de 250 policiais na capital e 190 no interior. Todo reforço policial vai para a rua. Vai ter policiamento nos bairros, não tem como parar”, acrescentou.

O comandante da Polícia Militar do Acre, coronel Marcos Kinpara, lembrou que o trabalho vai ser feito em conjunto com os batalhões de Trânsito, de Operações Especiais, de Policiamento Ambiental, Companhia Raio, Polícia Civil, entre outros.

“Estamos com esse planejamento prévio com todos os policiais e em todos os bairros. Temos a Companhia Raio com o movimento rápido de motocicleta e vamos continuar nas cinco noites para que o cidadão de bem tenha um carnaval tranquilo. Infelizmente, o cidadão que vai para bagunçar e cometer delitos a polícia vai está preparada para levá-lo para a delegacia”, complementou o comandante.

Detentos colocaram fogo na unidade na manhã desta quarta-feira (7)  (Foto: Arquivo Pessoal)

Ataque na Papudinha e execuções

A medida veio depois do ataque na Unidade Prisional 4 (UP4) e as mais de 10 mortes em Rio Branco nos nove primeiros dias de fevereiro.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Acre (MP-AC) encaminhou ofício, nesta quinta (8), ao Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen) recomendando que os presos responsáveis pelo incêndio na Unidade Prisional UP4, conhecida como Papudinha, sejam responsabilizados pelo crime.

A UP4 foi incendiada na quarta-feira (7) pelos próprios detentos após um preso ser morto e outro ferido na saída da unidade. O fogo destruiu cerca de 60% do presídio. No mesmo dia, a juíza determinou que os presos do regime semiaberto se apresentassem no Presídio Francisco d’ Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco.

Dois detentos morreram após o ataque. Um deles, Mateus da Silva Lima, de 21 anos, morreu ainda no local. O outro, Antônio Marcos Teles Felisberto, de 30 anos, chegou a ser socorrido e levado para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (huerb), mas morreu na madrugada desta sexta (9), de acordo com o pai dele.

Fonte: G1.

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.