Mesmo com vazante, rio Juruá desaloja mais de 300 pessoas em CZS

06.03.2017 14:30 Por jornalismo

Os dados foram repassados  na manhã desta segunda-feira, 6, pelo coordenador da Defesa Civil Municipal de Cruzeiro do Sul, Tenente Lima, durante entrevista concedida ao jornalista Genival Moura, no programa  Bom dia Juruá, rádio 100,9 FM. Ao todo já são mais 60 famílias, cerca de   300 pessoas que precisaram sair de suas casas por conta  da elevação no nível das águas do Juruá.

Segundo a Defesa Civil, dezoito famílias foram levadas para casas alugas pela prefeitura, os restantes estão vivendo em abrigos públicos.

Entre locais que já estão recebendo desalojadas estão o Ginásio Alaiton, Associação de Moradores da Várzea, Colônia de Pescadores e antigo prédio da Santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro do Sul.

As regiões da Lagoa e Várzea estão entre as áreas com maior índice de pedido de socorro registrados pela Defesa Civil Municipal.

De acordo com Corpo de Bombeiros, mesmo com sinais de vazante é preciso ficar atento ao comportamento do rio.

“Historicamente o mês de março é considerado como a época com maior concentração de chuvas no período. Sendo que a média esperada para todo o restante do mês é de 90 a 80 miletos chuvas acumuladas ao dia”, explicou.

Da redação.

Recomendado

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.