‘Se quiser amamentar, terá de se cobrir’: regra em voos da KLM causa polêmica

19.07.2019 13:00 Por REDAÇÃO ONLINE

Companhia aérea holandesa é criticada nas redes por defender política de pedir a mães que se cubram para amamentar a bordo caso outros passageiros reclamem.

Por BBC


Mulher amamenta bebê durante evento em novembro de 2014 — Foto: Yorgos Karahalis/Reuters

Mulher amamenta bebê durante evento em novembro de 2014 — Foto: Yorgos Karahalis/Reuters

A companhia aérea holandesa KLM provocou uma verdadeira turbulência ao dizer no Twitter que pode pedir a mães que se cubram enquanto amamentam a bordo de aeronaves da empresa.

Respondendo a um comentário sobre um incidente ocorrido em um de seus aviões, a KLM disse ser permitido amamentar durante os voos, mas que, se algum outro passageiro se sentir incomodado, a empresa teria como política solicitar que a lactante se cubra.

A resposta da companhia aérea imediatamente provocou uma chuva de comentários no Twitter, com muitas pessoas criticando a política da empresa.

A KLM disse à BBC News que queria “manter a paz a bordo” de seus voos.

“Claro que amamentar é permitido a bordo de aeronaves da empresa. No entanto, nem todos os passageiros se sentem confortáveis com mães amamentando próximo a eles e, às vezes, alguns reclamam com a equipe da cabine “, disse uma porta-voz da KLM.

A porta-voz disse que o objetivo da empresa em casos como esses é “tentar encontrar uma solução que seja aceitável para todos e que demonstre respeito em relação ao conforto e espaço pessoal de todo mundo”.

“Isso pode envolver um pedido para uma mãe tapar os seios”, completou.

O posicionamento da KLM no Twitter veio em resposta a comentários de uma postagem no Facebook feita por uma passageira, em que relata um incidente ocorrido no mês passado, quando viajava de San Francisco, nos EUA, para Amsterdã, na Holanda.

Shelby Angel, de Sacramento, na Califórnia, contou que estava amamentando a filha de 1 ano quando foi abordada por uma aeromoça com uma manta, pedindo que ela se cobrisse. “Ela disse ‘se você quer continuar a amamentar, terá de se cobrir'”, relatou Angel.

Ela se recusou, dizendo se sentir “extremamente desconfortável e desrespeitada”.

No Facebook, Angel disse que sempre procurou ser discreta, mas que sua filha não gostava de ser coberta. Depois de reclamar com a KLM, ela foi informada de que era a política oficial da companhia aérea e que os passageiros precisavam “respeitar pessoas de outras culturas”.

A BBC ouviu outras empresas aéreas sobre suas políticas de amamentação.

A British Airways disse que jamais impediria uma mãe de amamentar a bordo. Afirmou ainda que poderia providenciar privacidade se lhe fosse solicitado.

“Nós carregamos milhares de bebês e suas famílias em nossos voos todo ano, e a amamentação a bordo é bem vinda”, disse um porta-voz.

A empresa de voos de baixo custo EasyJet disse que suas passageiras são bem-vindos para alimentar seus bebês a bordo “a qualquer momento”.

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.