Senadores saem em defesa de Gladson Cameli

11.03.2015 11:11 Por jornalismo

Plenário do SenadoO senador Gladson Cameli (PP-AC) ocupou a tribuna do Plenário do Senado nesta terça-feira (10) para negar qualquer tipo de envolvimento com as irregularidades investigadas pela Operação Lava-Jato. Ele se disse indignado com a inclusão de seu nome na lista de políticos que serão investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“Estou tranquilo, pois não deixarei de provar que as acusações supostamente incriminadoras não passam de devaneio do acusador, uma vez que não se encontram indícios e muito menos elementos para abertura da peça administrativa”, relatou Gladson

Gladson negou com veemência ter recebido dinheiro do Partido Progressista sem que os recursos tenham sido declarados e aprovados pelo Tribunal Regional Eleitoral do Acre por unanimidade e sem ressalvas. Contou que mais de 90% dos gastos das campanhas políticas de que participou foram bancados pelo grupo empresarial da família.

“ Estou sendo acusado sem processo, e pior, sentenciado sem defesa. Mas minha convicção na Justiça não será abalada. Confio na Justiça e por meio dela provarei minha inocência”,  declarou.

Apoio

Diversos senadores se solidarizaram com Gladson Cameli. Omar Aziz (PSD-AM) fez um alerta ao Senado. Segundo ele, se o senador do PP acriano recebeu recursos do diretório nacional do partido e esse valor está sob suspeita da Procuradoria da República, todos os demais parlamentares também estão sob suspeita.

“ Se é depositado um dinheiro na conta do PP, que é aprovado pelo Tribunal Eleitoral, o que é honesto e o que é desonesto?”, questionou Aziz.

A senadora Ana Amélia (PP-RS) lembrou que na política vale a “teoria da mulher de César”, quando não basta ser honesto, mas é preciso provar a honestidade.

“Tenho a convicção que sua manifestação pública tem sinceridade e compromisso, especialmente, com os eleitores do Acre. Até adversários políticos seus me deram a ideia do equívoco que foi a  inclusão de seu nome na lista”, disse Ana Amélia.

O senador Gladson Cameli pediu à população brasileira crédito para provar que as acusações são levianas. Declarou também que os sigilos bancário, fiscal e telefônico estão à disposição da Justiça e do Ministério Público.

Apoio no Acre

Os deputados estaduais Gehlen Diniz e Nicolau Junior saíram em defesa do senador Gladson Cameli na manhã de terça-feira (10) na Assembleia Legislativa do Acre, com base na investigação feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

De acordo o deputado Gehlen, com relação aos demais nomes citados pela procuradoria, aqueles que comprovadamente tiverem culpa devem ser julgados. O parlamentar divergiu da tentativa de linchamento político nesse momento em que todos são apenas suspeitos.

O deputado estadual Nicolau Junior disse que o senador eleito com a maior votação do Acre vai continuar sendo a grande liderança do Juruá e do Estado. “Não temos dúvidas de que ele sairá inocentado” acrescentou.

Com informações da Assessoria

 

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.