11 perguntas e respostas sobre cuidados com a pele do bebê no inverno

02.07.2018 14:26 Por REDAÇÃO ONLINE

Não é só a pele dos adultos que sente os efeitos desse período do ano. Saiba como cuidar da derme dos pequenos nos dias frios e secos

Se no inverno já é fácil a pele dos adultos ficar desidratada, imagine a dos bebês, que ainda não está totalmente preparada para enfrentar o frio e a secura. Como a chamada barreira cutânea está em formação, eles são mais suscetíveis a alergias e infecções. Por isso, o cuidado deve ser mais criterioso.

Para ajudar as mamães e os papais a não passarem perrengues com seus filhos durante a estação mais fria do ano, SAÚDE conversou com a presidente do Departamento Científico de Dermatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Vania Oliveira de Carvalho, para tirar 11 dúvidas comuns sobre o tema:

1. Como deve ser o banho do bebê no inverno?

O ideal é que seja com água morna, não muito quente, e que dure poucos minutos. “A melhor hora para o banho é no fim da tarde, antes de a criança dormir. Isso ajuda a acalmar e induzir o sono”, recomenda a dermatologista.

Dê preferência a sabonetes líquidos infantis com pH igual ao da pele, pois mantêm a barreira cutânea, impedindo que ela fique seca. “Produtos não indicados para crianças têm maior risco de provocar alergias. Sobretudo os sabonetes em barra”, explica.

E as esponjas, será que são necessárias? Como elas acabam acumulando bactérias, a doutora prefere apostar apenas no sabonete, que já é suficiente. Além disso, deve-se escolher toalhas macias e manter o quarto aquecido.

2. Eles precisam tomar banho todos os dias?

Em regiões mais quentes, o ideal é fazer essa higiene diariamente por causa do acúmulo de suor. Em dias mais frios, você pode limpar apenas as áreas mais críticas, como a região genital.

Ainda assim, Vania alerta que passar muito tempo longe da água e do sabão é ruim. “Tomar banho todos os dias não prejudica o bebê”, afirma.

3. Devemos passar cremes hidratantes no bebê?

Eles são indicados apenas para os pequenos com a derme naturalmente seca. Nesses casos, utilize aqueles destinados a crianças e recém-nascidos. “Hidratantes para adultos geralmente contém perfumes que podem irritar a pele do bebê”, esclarece a médica.

4. E os óleos corporais podem ser aplicados?

O uso está liberado, principalmente para massagens nos pequenos. Porém, com a mesma ressalva: só recorra aos itens próprios para o público infantil.

5. Alguma parte do corpo exige mais hidratação?

Na teoria, qualquer região pode ressecar. Entretanto, áreas mais expostas, como a face, ficam sequinhas com facilidade. Aí é uma questão de aplicar cremes hidratantes quando necessário.

6. A boca do bebê resseca também?

Às vezes, sim. Por isso, os bastões labiais estão liberados. “Os próprios cremes e pomadas para assadura podem ser usados nos lábios”, indica Vania. Só converse com um profissional para ver se é mesmo o caso de fazer isso.

7. Quais sinais a pele dele dá quando não está sendo bem cuidada?

Em geral, ela vai apresentar áreas mais avermelhadas, descamação e coceira. “A pele íntegra tem um aspecto bonito e macio. Quando sai desse padrão, é o momento de procurar o pediatra”, alerta Vania.

8. Quais as doenças de pele mais comuns no inverno?

Dermatites, principalmente a atópica. Essa doença crônica surge bem cedo (a partir dos 2 meses de vida) e é frequente nas crianças.

Em resumo, ela causa lesões avermelhadas na face e nas pregas dos braços ou das pernas, que coçam e surgem de tempos em tempos. Por terem a barreira cutânea mais seca, os pacientes precisam de cuidados especiais, como hidratação diária e cremes especiais. “É importante divulgar que a dermatite atópica não é infecciosa”, ressalta a especialista.

9. Há tecidos de roupa contraindicados?

As crianças detentoras de uma pele sensível devem fugir das peças fabricadas com fibra sintética ou lã, porque esses tecidos não raro desencadeiam alergias – principalmente em gente que têm propensão a dermatite atópica. Dê preferência às roupas de algodão.

10. As assaduras exigem cuidados específicos no inverno?

Não, eles são os mesmos no ano inteiro. “Se a troca de fralda for frequente e a limpeza, suave, as assaduras vão ocorrer com menos intensidade. Usar pomadas específicas também ajuda a evitá-las”, comenta Vania.

11. A pele ressecada pode ser sinal de um problema mais sério?

Existem condições, como alterações na tireoide, que promovem uma secura na pele e merecem atenção redobrada. Há também doenças genéticas a exemplo da ictiose – uma encrenca que deixa a derme mais seca desde o nascimento –, mas elas não são tão comuns assim.

Na dúvida, bata um papo com o profissional. Até porque ele conseguirá achar soluções mais personalizadas para cada situação.

Fonte: Saúde Abril

Notícias Recomendadas

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site ou de seus editores.